segunda-feira, 9 de julho de 2012

Mulher Gato nas HQs - Parte 1

As nove vidas da Mulher Gato feito pelo Brian Bolland
A Mulher Gato original apareceu pela primeira vez em Batman # 1, onde era conhecida como The Cat. Como adversária de Batman, ela era um ladra de ítens cobiçados, como jóias, estátuas e outros objetos valiosos. É uma das poucas personagens ligadas ao Batman que, nos quadrinhos, teve séries solos tão duradouras, tendo, até hoje, 4 “volumes”.

Na sua primeira aparição, Mulher Gato usava somente um vestido verde, sem a máscara. Nas edições seguintes da revista do Batman, ela reaparece usando capa e uma cabeça de gato:
 

O primeiro uniforme da personagem, o vestido roxo e verde com capa, aparecereu pela primeira vez na capa de Batman nº 42 (1947).
Na sua segunda aparição, ela se envolve de novo num roubo de jóias, safando-se revelando a Batman o paradeiro de um adversário muito mais mortal, o Coringa, para então desaparecer no Rio Gotham.

Nesse período, Selina atribuía a sua vida de crimes a um acidente ocorrido anos antes, quando um tijolo teria caído na sua cabeça e por conta isso, ela teve amnésia parcial, o que teria influenciado na sua vida. Na história, após a pancada na cabeça, Selina passa a se recordar da sua vida antes de se tornar uma ladra. Ela seria uma aeromoça que após sofrer um acidente de avião se esqueceu do passado e se tornou uma criminosa. Durante um tempo a história da amnésia foi aceita, não sem levantar suspeitas.
 Batman nº 62 – A Vida Secreta da Mulher Gato: HQ que conta a história da amnésia
A Mulher Gato teve seus dias de boa conduta, embora suas ações passadas influenciassem a desconfiança de Batman, já que não era possível saber se, de fato, ela seria de confiança. No nº 203 de Detective Comics (1954), a imagem de “boa moça” se desfaz e ela retorna para sua vida de crimes.
Porém, logo em seguida, Selina Kyle teve sua carreira interrompida por conta das investigações do Congresso Americano sobre a influência dos personagens das HQs na conduta das crianças e jovens norte-americanos, investigações essas que foram baseadas no livro A Sedução dos Inocentes, de Fredric Wertham. O resultado disso foi a criação do Comics Code Authority, que, dentro de suas regras, condenava personagens como a Mulher Gato: sedutora, que diversas vezes escapava da sua “punição” por cometer atos condenáveis e que diversas vezes desvirtuava os personagens principais da história.

O afastamento da Mulher Gato dos quadrinhos durou até 1966, após as imposições do Comics Code Authority gerar a reformulação de diversos personagens, inclusive do Batman. Dentro dessas mudanças, uma personagem dúbia como a Mulher Gato não cabia. De maneira inusitada e até representativa, a primeira reaparição da Mulher Gato foi na revista Superman’s Girlfriend, Lois Lane nº 70 (novembro de 1966).
Por coincidência ou não, o ressurgimento da personagem nos quadrinhos é contemporâneo à sua primeira versão na série de TV, interpretada pela Julie Newmar. Nessa nova versão, o vestido deu lugar a uma calça o que, se por um lado, retira a fenda que provavelmente iria contra os padrões morais da época, também pode ser visto como um sinal de modernidade, ainda mais quando se luta com uma Lois Lane com um visual comportado...

Na Detective Comics nº 369 (novembro de 1967) e Batman nº 197 (dezembro de 1967), a Mulher Gato volta às publicações do Batman. Nesta última com um uniforme verde inspirado na série de TV.
A Mulher Gato da Terra-2 (Terra Paralela). 

Enquanto a Mulher Gato da Terra-1, após um breve período de reforma, retornou a sua vida de crimes (a história da amnésia, como visto acima) a Mulher Gato da Terra-2 seguiu outro caminho. Após o episódio da amnésia, Selina renunciou à sua vida de criminosa e revelou sua identidade e “ se converteu”, ajudando Batman e Robin em alguns casos. Mas esse período foi breve e Selina se aposentou, e se tornou proprietária de uma loja de animais em Gotham City. Em busca de uma vida normal, ela ainda teve uma recaída antes de abandonar a identidade de Mulher Gato de uma vez por todas….ou quase. Por volta de 1955, Selina Kyle e Bruce Wayne retomam seu relacionamento e se casam.
Selina estava aposentada da vida de aventureira fantasiada mas Bruce Wayne continuava como Batman. O casal teve uma filha, Helena Wayne, que acabaria por seguir os passos de seus pais e cresceria para se tornar a Caçadora da Terra-2. Em 1976, o passado criminal de Selina volta a atormentá-la. Um de seus ex-subordinados, chamado “Silk” Cernak chantageou-a para que retomasse sua identidade de Mulher Gato, usando uma fotografia falsificada que a tornaria supeita do assassinato de um policial de Gotham City. Cernak forçou a Mulher Gato a roubar o Gotham City Civic Center. O Comissário Gordon intervém com o auxílio de Batman, já bastante envelhecido. 

Durante a luta com os capangas de Cernak, Batman chuta uma arma da mão de um deles. A arma dispara e atinge a Mulher Gato no peito. Ela morre nos braços do Batman, afirmando: “Perdoe-me querido, eu só fiz isso por você”. Logo após a morte de sua mãe, Helena Wayne vestiu o traje da Caçadora e trouxe “Silky” Cernak à justiça. Silky confessou a adulteração da fotografia e ficou claro que Selina Kyle nunca tinha assassinado alguém em sua vida.
Em 1979, o Batman da Terra-2 segue sua amada e morre lutando contra um fugitivo chamado Bill Jensen, (Adventure Comics nº 462). Um mago chamado Fredric Vaux havia concedido poderes místico a Jensen como parte de um plano para destruir todos os super-heróis. O Robin e a Caçadora da Terra 2 também viriam a morrer durante a Crise nas Infinitas Terras, em 1985, fechando um ciclo e eliminando os últimos vestígios daquela que poderia ser chamada de “a verdadeira Bat Família”. A Terra-2 foi eliminada da cronologia pelos acontecimentos de Crise nas Infinitas Terras, mas foi recentemente reintegrada, por conta do reboot iniciado no ano passado.
Imagens e conteúdo retirados do Pipoca e Nanquim
Related Posts with Thumbnails