sexta-feira, 1 de junho de 2012

A Vingança de Bane


Assim como o Coringa tem sua “origem contada” em A Piada Mortal, Bane é introduzido em A Vingança de Bane, revista de 1993, que integra A Queda do Morcego. Escrita por Chuck Dixon e desenhada por Graham Nolan, dupla que, junto com Doug Moench, criaram o personagem.

Bane é condenado a prisão perpétua ainda no ventre da mãe já que a legislação de Santa Prisca, ilha caribenha fictícia, previa que filhos homens poderiam cumprir penas que são originalmente de seus pais. Bane cresce dentro da prisão de Pietra Dura com a mãe, que falece seis anos após o seu nascimento. Órfão, ele é transferido para a ala geral, onde passa a conviver com o restante dos presos.
Ele atinge a “maturidade” aos oito anos, ao matar um dos presos que queria usá-lo como moeda de troca de informações na prisão. Por conta do assassinato, é trancado numa solitária da prisão, onde, além da escuridão, haviam outras condições inóspitas, como ratos e insetos, subida das marés e a própria solidão, um fator que poderia torná-lo completamente insano.
Porém, na sua mente, ele desenvolve meios para vencer o medo, algo que havia sido requisitado a ele anos antes, por uma visão de si mesmo no futuro. Entre os meios, Bane sempre sonha que vaga por diversos lugares, onde procura e derrota um morcego. Depois de dez anos na solitária, Bane sai e se torna uma lenda entre os outros condenados. Trabalhando na biblioteca da prisão, dedicou-se à leitura de diversos livros, além de aperfeiçoar-se fisicamente.
Por intermédio de outro prisioneiro, Pássaro, se interessa pelas histórias de Gotham, especialmente pelo fato da cidade ser controlada pelo Batman, relacionando com o morcego de suas visões na solitária. Ir à cidade e derrotar o Homem Morcego passa a ser uma obsessão.

Antes de ir atrás de seu interesse, Bane é utilizado como cobaia de um experimento na prisão, após cinco prisioneiros não sobreviverem à experiências com injeções, com uma droga chamada Veneno, que o fortalece. Porém, a substância vicia e para manter o efeito, é preciso ser reinjetada a cada 12 horas. Bane resiste à droga e outros experimentos são feitos, com implantes no crânio para administrar a droga diretamente no cérebro.

Mesmo resistindo aos experimentos, Bane se fingiu de morto para sair da prisão e, assim como os outros presos mortos, é lançado ao mar e foge para Gotham com Pássaro, que é da cidade. Fora da prisão, para suprir a necessidade da droga, Bane passa a utilizar uma máscara com tubos ligados diretamente ao crânio.
Utilizando os contatos obtidos na cidade, Bane tenta chegar ao Batman com o objetivo claro de matá-lo. No primeiro encontro com ele, Bane observa que Batman não mata e que pretende derrotá-lo, que não demonstra muita preocupação.

Bane tem uma história de perdas e acontecimentos significativos na vida ("No one cared who I was until I put on the mask") que se assemelham muito à história do Batman, apesar dos meios de vida distintos, a semelhança também aparece nos métodos, a ponto do Bane compreender como Batman age, sua identidade secreta e conseguir desestabilizá-lo através disso. Tudo isso fica mais claro ao longo da Queda do Morcego.
Related Posts with Thumbnails