sexta-feira, 18 de julho de 2008

Batman - O Cavaleiro das Trevas


Após uma campanha de marketing primorosa, Batman - O Cavaleiro das Trevas chega aos cinemas como um dos filmes mais esperados do ano. Não só cumpre o que promete, mas vai além.

No longa, Gotham City sofre as consequências do surgimento de Batman (Christian Bale). A cidade está repleta de criminosos que, cansados de terem suas ações interrompidas pelo vigilante mascarado, buscam ajuda de um outro criminoso, o Coringa (Heath Ledger). Mas, ao contrário dos mafiosos, a motivação dele é somente gerar o caos. Em meio a isso, Harvey Dent(Aaron Eckhart), o novo promotor público da cidade, tenta colocar todos os criminosos atrás das grades. Dent é a representação da esperança dos gothamitas em um futuro melhor, inclusive a de Bruce Wayne, que vê no Cavaleiro Branco de Gotham não só o agente que tornará a cidade melhor, mas aquele que assumirá o posto de herói no lugar de Batman, cada vez menos desacreditado. Ao lado de Dent nessa caçada, estão o próprio Batman, Gordon (Gary Oldman) e Rachel Dawes (Maggie Gyllenhaal), amiga de Bruce e namorada de Dent. A situação começa a fugir do controle quando o Coringa começa a cumprir o seu acordo com os bandidos, e a partir daí, todos são potenciais vítimas do Palhaço do Crime.

Em termos de quadrinhos, é perceptível a inspiração em Batman #1, O Longo Dia das Bruxas e em determinadas situações, O Cavaleiro das Trevas, de Frank Miller. O Coringa de Heath Ledger pode não ter uma origem, mas elementos de A Piada Mortal, de Alan Moore, estão presentes.

Eu não tenho nenhuma queixa a fazer do elenco. Christian Bale encarna Wayne e Batman com a mesma competência de Batman Begins. É perceptível que ele amadureceu no papel e Batman está mais presente na telona que no filme anterior. Para quem não gosta da rouquidão que o ator dá a voz quando está sob o capuz e a máscara, talvez seja complicado. Michael como o mordomo Alfred, Morgan Freeman como Lucius Fox, novamente competentíssimos. Maggie Gyllenhaal dá a força que faltou a Katie Holmes no papel de Rachel. Gary Oldman, com mais destaque dessa vez, mostra o camaleão que é. Gordon ganha uma subtrama e quase dá pra acreditar que podem existir policiais incorruptíveis e extremamente leais ao que fazem.

Heath Ledger fez o papel da sua vida. É triste demais pensar que não o veremos novamente na telonas. Seu Coringa é louco, sádico, sadomasoquista, inescrupuloso, psicopata, insano e repleto de humor negro. A versão dele para o personagem é completamente diferente encaixável no universo de Batman Begins e melhor que Jack Nicholson. Ledger conseguiu desaparecer por trás da maquiagem, do cabelo descolorido, das cicatrizes, da roupa surrada, da voz grave e inconstante e do seu primoroso desempenho. Isso, muitos atores tentam a vida inteira e não conseguem. E Nicholson não fez isso em 89. Aaron Eckhart dá a Harvey Dent toda a imagem de salvador, da materialização da esperança de Gotham e a queda do promotor após um terrível acontecimento que, na verdade, só traz à tona algo que ele já demonstrava ter dentro de si.

Poucas vezes eu vi um filme onde a trilha sonora estivesse tão presente. Parabéns a James Newton Howard e Hans Zimmer pelo excelente trabalho.
Apesar de não ter flashbacks e ser linear, existem cenas do filme que dialogam diretamente com outras de Begins. Destaque para uma que envolve Alfred e Bruce, logo após um dos maiores acontecimentos da trama. As falas e a situação, com as devidas adaptações, são idênticas a uma que envolve o jovem Bruce Wayne e Alfred em Batman Begins. Outras duas, entre Batman e Gordon e entre Rachel e Bruce, tem a mesma situação.

São duas horas e meia que passam voando. Não há tempo para se recuperar entre uma cena e outra. A ação não cai em nenhum momento. Os alívios cômicos, criticados por muitos em Begins, dessa vez estão melhor encaixados. Por várias vezes, eu esqueci que se tratava de um filme baseado em histórias em quadrinhos e espero que não seja encarado pelas pessoas dessa forma.

Para quem acompanhou o marketing viral, logo no início do filme, há uma relação com as ações de publicidade. É uma rápida passagem na televisão. Quem assistir a última edição do Gotham Tonight vai entender.

O final do filme é poético. Não há uma ligação direta para uma continuação mas certamente as frases finais vão ficar nas nossas mentes por muito tempo.
Christopher Nolan e sua equipe fizeram o melhor filme do personagem até hoje. Ao mesmo tempo que nos impressiona pelo resultado final, nos faz pensar como agiríamos nas situações que são apresentadas. Gotham não está tão distante de nós, como pode parecer. A população da cidade tem grande participação na trama e podemos nos ver facilmente nessas pessoas. Se alguma vez nos perguntamos se seria bom ter heróis na sociedade, o filme nos leva a pensar a respeito.
A minha nota, sem medo de ser feliz, é 10.

Com isso, vou me ausentar do blog nas próximas duas semanas. Eu sei que há muito a se repercutir ainda e, por isso, é provável que eu poste novamente em breve. Por hora, desejo a todos um ótimo filme, curtam muito e agradeço as visitas. Toda a espera dos últimos dois anos valeu muitíssimo a pena.

That's all folks!

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Especial Batman - O Cavaleiro das Trevas (parte 8 ): Curiosidades

Hugh Jackman, Ryan Phillippe, Liev Schreiber e Josh Lucas manifestaram interesse em interpretar Harvey Dent. Por coincidência, há 8 anos atrás, Aaron Eckhart foi cotado para ser o Wolverine...

Foi feito um uniforme com mamilos, uma das maiores críticas feitas aos filmes do Joel Schumacher, Batman Eternamente e Batman e Robin. A roupa foi apresentada a Christian Bale como o uniforme verdadeiro, mas ele percebeu no ato que era uma brincadeira, já que já tinha visto alguns desenhos do uniforme real ainda na pré produção. Bale entrou na brincadeira, vestiu a roupa e fez algumas fotos com ela.

É o primeiro filme do personagem que não tem "Batman" no seu título original. No Brasil, o nome foi incorporado...

Quando houveram boatos de que o Pinguim estaria no filme, Bob Hoskins era o preferido dos fãs para o papel. O ator inclusive se manifestou, falando que adoraria interpretar o personagem e trabalhar com Nolan. Mas, o diretor não tinha a intenção de usar o personagem, que segundo ele, um personagem muito difícil de adaptar no universo realista que ele propõe.

Robin Williams, Lachy Hulme, Paul Bettany e Adrien Brody manifestaram interesse em interpretar o Coringa.

Quando perguntado do porquê de ter escolhido Heath Ledger para o papel de Coringa, Nolan disse: "Porque ele é destemido".

Jerry Robinson, creditado como um dos criadores do Coringa, é consultor do filme.

Antes de Maggie Gyllenhaal substituir Katie Holmes no papel de Rachel Dawes, foram cotadas Rachel McAdams e Emily Blunt. Dizem que Blunt até fez teste...

Durante as filmagens em Chicago, o filme era rodado sobre o pseudônimo de Rory's First Kiss, usando o logo RFK nos locais de filmagem. Rory é o nome de um dos filhos do diretor Chistopher Nolan.

Nolan cita o filme "Fogo contra fogo" como uma das influências de TDK.

Os policiais de Chicago também foram utilizados como policiais de Gotham em cenas como figurantes.

Christopher Nolan, Jonathan Nolan e David Goyer, roteiristas do filme, decidiram não explorar a origem do Coringa no filme, e sim abordar o personagem "em absoluto". Nolan chegou a comparar o Coringa com o Tubarão, no filme homônimo.

No dia de Ação de Graças de 2007 o jornal "The Gotham Times" foi distribuído em vários eventos públicos. Haviam manchetes como "Cidade em Guerra-Batman salva família inteira", "Bruce Wayne não pára de dar festas", anúncios do Banco de Gotham, informações sobre o tempo e recrutamento do Departamento de polícia de Gotham. Uma versão online disponibilizava links para os sites das instituições anunciadas no jornal, além de uma versão do Coringa do mesmo, o "The hahaha Times".

O Coringa é baseado nas duas primeiras aparições do personagem, na edição #1 do gibi do Batman e na graphic novel "A Piada Mortal". Para se preparar para o papel, Heath Ledger passou 6 semanas isolado em um hotel em Londres pesquisando e desenvolvendo o personagem. Ele cita como influência o personagem Alex DeLarge, de Laranja Mecânica, e Sid Vicious, baixista do Sex Pistols, morto em 79 por overdose de heroína. Ele escreveu um diário com anotações sobre o que ele imaginava que o personagem gostaria ou não. Uma das coisas que ele cita como engraçadas para o Coringa, é a AIDS. Ledger achou o personagem muito difícil, o que resultou em muitas noites mal dormidas.

Christian Bale e Heath Ledger trabalham pela segunda vez em um mesmo filme. O primeiro foi "Não Estou Lá", cinebiografia do cantor Bob Dylan, onde Bale interpreta um cantor de músicas de protesto que se torna cantor gospel posteriormente e Heath um ator que está rodando um filme sobre a vida do personagem de Bale, em que é o personagem principal.

Antes da confirmação de que Duas Caras estaria em Batman - O Cavaleiro das Trevas, vários vilões foram cotados para aparecer no filme junto com o Coringa. Entre eles, Máscara Negra, Tália Al Ghul (filha de Ra's, que aparece em Begins), Pinguim e Arlequina. Falou-se que Rachel Weisz seria a interpréte da filha de Ra's e Emily Watson, no primeiro momento, a escolha de Nolan no papel da Arlequina.

Com exceção de Katie Holmes, todos que estavam em Begins retornam em Batman - O Cavaleiro das Trevas. A saída de Holmes foi ,oficialmente, devido a conflitos de agenda.

Robin Williams ainda não desistiu de estar em um filme do Batman. Depois de levar uma tapetada de Jack Nicholson no filme de 89 e de negar o papel de Charada em Batman Eternamente por conta do aconteceu 6 anos antes, ele manifestou diversas vezes que tinha vontade de interpretar o Coringa nesse filme. Falou que já havia sido uma experiência maravilhosa trabalhar com o Nolan no filme "Insônia" e que adoraria fazê-lo de novo. Williams ainda se mostrou entendido de hqs do Batman ao dizer que adoraria interpretar algo inspirado na graphic novel "Asilo Arkham", de Grant Morrison.

A primeira declaração de Heath Ledger após ser confirmado como intérprete do Coringa serviu para polarizar ainda mais a opinião das pessoas que não levavam muita fé no seu desempenho. Heath disse que odiava filmes de super heróis e que não conseguiria levar a sério um trabalho onde, por exemplo, teria que vestir cueca por cima da calça. Mas, se redimiu ao dizer que havia adorado o trabalho de Nolan em Batman Begins, já que era completamente diferente de tudo que há nesse gênero.

O Príncipe Palhaço do Crime teve diversos candidatos bizarros ao papel entre oficiais ou não. Falou-se em Johnny Depp, Michael Keaton, Mark Hammil (Luke Skywalker e o dublador do personagem em Batman TAS e Liga da Justiça). Há quem diga que Depp se interessaria pelo personagem se não fosse amigo de Tim Burton, diretor do filme em que Jack Nicholson interpretou o Coringa.

Antes de Heath Ledger, especula-se que Sean Penn foi convidado para o papel de Coringa e Matt Damon para Harvey Dent.

Na reta final para decisão do intérprete de Harvey Dent, três candidatos eram tidos como certos: Eion Bailey que fez teste para o papel de Batman, Jammie Fox e Edward Norton. Bailey negou de imediato, abrindo espaço nos boatos para Aaron Eckhart. Em fevereiro de 2007, Aaron foi confirmado e disse que os Nolan escreveram um roteiro "incendiante". Norton, meses depois, foi anunciado como Bruce Banner no novo filme do Hulk.

Durante as filmagens em Londres, foi rodada um a cena de explosão na Battersea Power Station. Tamanho foi o estrondo da explosão que as pessoas que estavam nos arredores acharam que se tratava de atentado terrorista.

Durante as filmagens de Hong Kong, a equipe teve alguns problemas, como prédios comerciais que se recusaram a deixar as luzes acesas durante a madrugada, pedido feito pelo estúdio, e o cancelamento de uma cena em que Batman pularia dentro do mar nas proximidades do porto da cidade. Especulou-se que isso ocorreu devido a poluição da água, mas Nolan disse que havia sido um corte no roteiro. O episódio foi abordado numa charge de um jornal local onde o Coringa pergunta a Batman se ele não sabe que água de lá é poluída.

Nestor Carbonnel, que faz o prefeito de Gotham nesse filme, interpretou o personagem Bat-Manuel, paródia de Batman no seriado live action de "The Tick".

É a segunda vez que Batman e Indiana Jones estréiam filmes no mesmo ano. E mais: nas duas vezes, o vilão principal do filme do Homem Morcego é o Coringa. Anteriormente, o ano de lançamento dos filmes foi 1989, ano de estréia de "Batman" e "Indiana Jones e a Última Cruzada".

A segunda edição do jornal fictício "The Gotham Times" tem duas referências a personagens do universo do Batman que não estão no filme. Na seção de carta dos leitores, uma das correspondências é assinada por Edward Nashton, um dos nomes utilizados pelo vilão Charada. Na terceira página, há um anúncio da casa noturna Iceberg Lounge, que, nos quadrinhos, pertence ao Pinguim.

No projeto do diretor Darren Aronofsky para adaptar Batman: Ano Um, Aaron Eckhart interpretaria James Gordon.

Segundo o próprio diretor Christopher Nolan, é o seu primeiro filme com narrativa linear.

A maquiagem do Coringa é feita por três máscaras de silicone, que levavam uma hora para serem colocadas no rosto de Heath Ledger. Ele dizia que era como se não estivesse utilizando nada.

Depois de assistir ao filme, David Goyer, autor da história ao lado de Nolan, exclamou: "não acredito que o meu nome está em um filme como esse".

Nos EUA, a venda antecipada de ingressos começou cerca de 1 mês antes da estréia do filme, sendo que as sessões de meia-noite do dia 18 se esgotaram rapidamente. A procura foi tanta que obrigou as redes de cinema a criarem sessões às 3 da manhã e, posteriormente, 6 da manhã.

Batman - O Cavaleiro das Trevas vendeu 8 vezes mais ingressos a 20 dias da estréia que Homem Aranha 3, um dos filmes mais esperados de 2007.

Especial Batman - O Cavaleiro das Trevas (parte 7 ): Bátima Feira da Fruta


Batman - O Cavaleiro das Trevas certamente será um filme muito sério, mas, se tratando de internet, é sempre bom lembrar de Bátima Feira da Fruta!
Eu não sei exatamente quando surgiu, mas quando Batman Begins estava no cinema, algumas pessoas já comentavam essa versão redublada de um dos episódios do seriado da década de 60. Com a disseminação do Youtube, o negócio tomou proporções épicas.
Para uns, Feira da Fruta é só um vídeo cheio de palavrões e expressões de baixo calão. Para outros, uma fonte inesgotável de piadas infames. Quase todas as frases do vídeo tem comunidade no Orkut. A mais célebre, certamente, é a do Coringa, o Bobo, o Palhaço, o Joker, o maior fã de charuto cubano de Gotham City: "Eu vô cumê a tia do Bátima!".
Veja abaixo:



That's all folks!

Tumbler ganha versão Transformers!!

A criatividade das pessoas realmente não tem limites: fizeram uma versão Transformers para o Tumbler, o batmóvel de Batman Begins e Batman - O Cavaleiro das Trevas. Veja aí embaixo:


clique para ver maior

That's all folks!

Brasil ganha versão do marketing viral de Batman - O Cavaleiro das Trevas



Depóis de um ano e três meses de marketing viral completamente em inglês, o marketing viral de Batman - O Cavaleiro das Trevas ganhou uma versão brasileira. O site porquetaoserio pede para que 300 pessoas mandem suas fotos para o portal, "coringuem" as fotos e aguardem um comando para ver "do que ele é capaz". A minha foto já tá lá! E pra quem imagina que isso é coisa de algum aficcionado, aí vai uma informação interessante: eu tenho quase certeza que o site é da Warner, já que ele pergunta se você quer receber informações da empresa posteriormente.
Além disso, o site tem um número de telefone de São Paulo:(11) 3323-6205. Dizem que teve gente que ligou pra lá e conseguiu ingressos pra uma pré-estréia. Porém, a gravação já foi devidamente dominada pelo Coringa...
Além disso, Harvey Dent ganhou um blog sobre a sua campanha pra Promotoria Pública de Gotham City. Veja aqui.

Eu vou aguardar o comando deles, qualquer coisa...

That's all folks!

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Especial Batman - O Cavaleiro das Trevas (parte 6 ): O Marketing Viral: Gotham City está online!


Por mais corrupta que Gotham seja, as autoridades e outras organizações não deixaram de marcar presença no marketing viral da película. O surgimento da edição online do jornal "The Gotham Times" marcou o aparecimento de diversos sites de organizações da cidade, como bancos, empresas de segurança, restaurantes, canais de tv, escolas, organizações policiais e etc. Esses sites criaram um universo em torno do que seria a cidade, como a ambientação da produção já estivesse na internet meses antes da sua estréia.

A primeira edição do jornal já falava no início da campanha eleitoral na cidade para o cargo de promotor público. Como toda campanha que se preze, surgiram os candidatos divulgando a sua campanha através de sites. Nessa circunstância que, após quase um ano, o "I believe in Harvey Dent" teve a sua primeira atualização. O site convocava aqueles que acreditavam no candidato a manifestar isso publicamente, através de fotos e vídeos. Além disso, carros apelidados de "dentmovéis" percorreram cidades norte-americanas distribuindo material promocional da campanha fictícia. Aqueles que enviaram material para o site receberam em casa uma espécie de registro de votação de Gotham, inclusive com endereço residencial. Como eleições em geral não são feitas com somente uma candidatura, os opositores de Dent marcaram presença. Foram eles Garcetti e Dana Worthington. Entre os dois, o que fazia maiores acusações ao futuro Duas Caras era Garcetti.

Em dado momento, dois sites se preocupavam bastante em acusar Dent. Eram eles o tablóide Maiden Avenue Report e o site da organização Concerned Citizens For a Better Gotham. Esse último também enviou correspondência aos que enviaram arquivos para o "I believe in Harvey Dent". Tratava-se de um bótom da campanha de Dent danificado parcialmente, talvez fazendo alusão ao Duas Caras. Outro fato supostamente organizado pelos membros do grupo foi uma pesquisa feita com os participantes do marketing viral onde se perguntava sobre o que significaria para o entrevistado o suposto envolvimento de Dent com prostitutas, corrupção e drogas. Aparecendo esporadicamente durante todo o marketing viral, Batman ganhou um site onde as pessoas defendiam as suas ações, chamado Citizens for Batman.

Durante vários meses, o site de Dent foi atualizado com textos e arquivos de aúdio do próprio candidato, muitas vezes respondendo às acusações feitas a ele. Além disso, outra advogada de Gotham, Rachel Dawes, protagonizou um vídeo onde defendia Dent das acusações.


vídeo em que Rachel Dawes (Maggie Gyllenhaal) defende Harvey Dent

Com tantas acusações feitas ao candidato, poderia-se dizer que as chances de chegar ao cargo de promotor público seriam muito poucas. Pórem, um fato fez com que a candidatura de Harvey sofresse mudanças. Em determinado dia em que havia marcado uma coletiva de imprensa para esclarecer as acusações, o site do candidato transmitiu um sequestro feito por um policial, membro do ccfabg, que acusava Dent de corrupção. O policial estava dentro de um restaurante e tinha uma refém. Após uma tentativa falha da polícia de interromper o sequestro com atiradores de elite, que resultou na morte de uma das reféns, Dent se trocou por um deles, conseguindo fazer com que o policial se entegrasse. A partir daí, a imagem do candidato teve uma reestruturação.

Um outro fato interessante do marketing viral foi a aparição do comissário James Gordon, após os participantes fornecerem o seu telefone em um site a mando do Coringa, eles receberam uma ligação telefônica e, após dizer uma senha, ouviam que foram pegos pela polícia e que dali em diante deveriam colaborar com as investigações para não serem presos.

Ao meu ver, a aparição de Gordon no marketing não estava prevista. Talvez ela só tenha surgido para desviar as atenções do principal personagem presente nesse processo, o Coringa, devido à morte de Heath Ledger.

Em maio, a eleição para a promotoria pública de Gotham City foi realizada. Tanto as pessoas que já estavam cadastradas quanto outras puderam participar. Após isso, os maiores eventos do marketing se concentraram no site Gotham Cable News, canal de notícias de Gotham. O programa "Gotham Tonight", apresentado pelo personagem Mike Engel (Anthony Michael Hall). As edições do programa entravam no ar semanalmente. Em geral, eram especiais sobre personagens do filme ou entrevistas com eles. Entre os personagens presentes, estão Harvey Dent, Jim Gordon, Salvatore Maroni, Bruce Wayne e Comissário Loeb.

Com total interatividade e apresentando os personagens antes mesmo do filme, é provável que os participantes do marketing viral vejam a produção com outros olhos, provavelmente por terem alguma informação que outras pessoas não tenham. Além disso, os eventos construíram uma ponte entre Batman Begins e Cavaleiro das Trevas, visto que vários acontecimentos do primeiro filme foram abordados no marketing.

Com toda certeza, a ação de marketing organizada pela Warner Bros e a empresa 42 Entertainment ficará para a história e será seguida por outras produções. O marketing viral se tornou uma maneira que as empresas conseguiram de utilizar a parte do público que discute as produções online para a própria divulgação de uma forma menos convencional e mais agressiva.

terça-feira, 15 de julho de 2008

Especial Batman - O Cavaleiro das Trevas (parte 5): O Marketing Viral - O Coringa alopra a Internet


Em geral, a publicidade de um filme é feita através da divulgação gradual de material promocional da película, como imagens, pôsteres e trailers. Porém, com Batman - O Cavaleiro das Trevas a divulgação foi feita de maneira completamente diferente.

Iniciada mais de um ano antes da estréia do filme, a publicidade da produção começou na internet em maio de 2007, com o site "I believe in Harvey Dent", destinado à promoção da candidatura do personagem Harvey Dent para a promotoria pública de Gotham City. Para os mais interados com os quadrinhos, o nome do site parece uma referência a minissérie "O Longo Dia das Bruxas", de Jeph Loeb e Tim Sale.




O começo: a primeira imagem de Aaron Eckhart como Harvey Dent e a versão "coringada".

Apesar desse começo, o foco do marketing à princípio não foi no futuro Duas Caras. Cerca de dois dias depois, entrava no ar o site "I Believe in Harvey Dent too". Com letras aparentemente escritas com sangue e com a imagem de Harvey Dent com a boca rabiscada de vermelho e os olhos de preto, o site foi responsável pela primeira aparição do Coringa no marketing do filme. Aos poucos, a imagem de Harvey Dent foi dando lugar a primeira imagem de Heath Ledger como o Coringa. Em seguida, a foto deu lugar a uma frase perdida entre diversas risadas: "See you in december", anúncio da data em que o primeiro trailer foi divulgado.


A primeira imagem de Heath Ledger como Coringa também foi a primeira recompensa do início do marketing viral

Mas não só da rede mundial de computadores viveu a publicidade do filme. Apesar de não apresentar um painel na Comic-Con de San Diego de 2007, o marketing do filme esteve no evento. No site "Why so Serious", o Coringa convocou "palhaços" para trabalharem para ele. Os interessados deveriam comparecer no local do evento. Lá, as pessoas foram maquiadas e deviam procurar pistas para um quiz que estava no site. O resultado foi a divulgação do teaser trailer. Nos meses seguintes, o marketing voltou a ter eventos fora da rede mundial de computadores. Entre eles, estão grupos de pessoas que tiravam fotos caracterizadas como o Coringa em locais públicos e as que percorreram cidades dos Estados Unidos em busca de letras para a formação de uma frase. Algumas pessoas que participaram da parte pública do marketing receberam alguns presentes como kits de maquiagem, cartas coringas e até celulares.

Os eventos não se restringiram somente aos EUA. Por duas vezes, o marketing viral de Batman - O Cavaleiro das Trevas esteve presente em outros países, entre eles, o Brasil. Na primeira vez, o Palhaço do Crime pediu para que fossem buscados pacotes em determinados locais. No Brasil, isso ocorreu na cidade de São Paulo, onde dois pacotes com uma bola de boliche e um telefone celular foram deixados em dois shoppings.


imagem de um dos dois pacotes de São Paulo encontrado pelo Omelete

Posteriormente, o Coringa convocou centenas de pessoas para estarem no MASP para decifrarem um enigma. O Brasil foi o último país a decifrar os enigmas, já que era o único que não tem o inglês como língua oficial, o que dificultou a compreensão de determinadas expressões. A recompensa dos presentes foi assistir o segundo trailer da película e, claro, cartas coringa. Os presentes lotaram duas salas para a exibição do vídeo, além de terem sido os únicos a filmarem a sessão em todo mundo e colocarem na internet de imediato, já que a prévia só seria divulgada oficialmente cerca de uma semana depois. Em cada uma das cidades em que houve a exibição prévia do trailer, foi deixada uma versão feita pelo Coringa do mesmo, com rabiscos que formavam sorrisos, risadas e um sabre de luz na mão do personagem em determinado momento.

Na reta final do marketing, o Whysoserious exibiu uma lista com todos os outros sites virais e eventos já realizados, devidamente referidos por frases contidas numa lista. O último ítem da lista, "deixar uma grande marca", foi realizado ao final de uma contagem regressiva que durou cerca de 4 dias. Ao final dessa contagem, todos os outros sites relacionados ao filme, inclusive o oficial, tiveram o seu conteúdo "coringado". Além disso, após montar uma frase montada por letras espalhadas nesses sites, uma outra divisão do Whysoserious distribuiu ingressos para o filme em sessões de pré-estréia no território americano.

Dessa forma, as características do principal antagonista do longa foram mostradas, iniciando a criação de um universo em torno do filme antes mesmo de chegar as telonas. Outra inovação é a interatividade do processo, já que os fãs se tornaram os responsáveis pela divulgação de parte do material promocional do filme.

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Imagens e posteres "jokerizados" de Batman - O Cavaleiro das Trevas

Um dos resultados da última etapa do marketing viral, sites "jokerizados", também envolveu a página oficial do filme, inclusive o seu conteúdo. Abaixo, vão as imagens que estavam no site com as devidas mudanças feitas pelo Coringa:


























That's all folks!

Plantão dos virais! (parte 5)

Uma edição rápida do plantão dos virais. O Whysoserious está com um áudio na página principal do site. Parece que é alguém direto do Gotham National Bank pedindo ajuda durante um assalto. No final da gravação, dá pra ouvir uma risada psicótica...

That's all folks!

Especial Batman - O Cavaleiro das Trevas (parte 4): Trilha Sonora do filme




Oficialmente, a trilha sonora do filme sai amanhã, dia 15. Porém, as faixas do cd já estão no Youtube desde a semana passada. Então para aquecer os motores para o filme, aí vai as composições de Hans Zimmer e James Newton Howard para Batman - O Cavaleiro das Trevas:

1-Why So Serious? (9:14)


2-I'm Not A Hero (6:34)


3-Harvey Two-Face (6:16)


4-Aggressive Expansion (4:35)


5-Always A Catch (1:39)


6-Blood On My Hands (2:16)


7-A Little Push (2:42)


8-Like A Dog Chasing Cars (5:02)


9-I Am The Batman (1:59)


10-And I Thought My Jokes Were Bad (2:28)


11-Agent Of Chaos (6:55)


12-Introduce A Little Anarchy (3:42)


13-Watch The World Burn (3:47)


14. A Dark Knight (16:15)
Parte 1:


Parte 2:


Para quem quiser baixar, é só clicar aqui.

That's all folks!

sábado, 12 de julho de 2008

Pôster "Star Wars" de Batman - O Cavaleiro das Trevas

Antes de mais nada, aviso que o pôster abaixo não é oficial. Apenas o vi no fórum de fanarts do Superhero Hype e achei muito interessante. Um dos usuários do fórum fez uma excelente montagem que resultou num poster inspirado nos cartazes da franquia Star Wars. Veja abaixo o pôster e um dos cartazes da franquia de George Lucas, no caso, Episódio III - A Vingança dos Sith:


clique para ver maior


Aproveitando a deixa, quero agradecer aos comentários e elogios feito ao blog. Muito obrigada, do fundo do meu coração. As notícias e a proximidade da estréia me fazem pensar que tudo tá valendo a pena. E, lembrando, ao que tudo indica, verei Batman - O Cavaleiro das Trevas no dia 18, no Cinemark Botafogo, ao meio-dia, aqui no Rio de Janeiro. Se alguém for no mesmo horário, estarei lá.

Faltam 6 dias

That's all folks!

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Coringa distribui ingressos para TDK em IMAX!

Ontem à noite, quando a bomba que estava no Whysoserious "explodiu", ela disponibilizou um link para o Citizens For Batman. Lá, o Batsinal que foi projetado nas cidades de Chicago e Nova York há alguns dias, foram "jokerizados". Não só esse site, mas todos os sites do filme, inclusive o oficial, foram zoados pelo Coringa.

Além disso, cada site tinha em seu layout uma peça de quebra-cabeça com uma letra. A nerdaiada se juntou toda pra formar anagramas e chegaram nisso aqui. Foram distribuídos ingressos para o filme, no dia 15, em salas IMAX! Infelizmente, isso só valeu para os EUA, ai que raiva.

Dessa forma, o último ítem da lista do Coringa, "deixar uma grande marca", foi feito. Será que o marketing viral acabou?

That's all folks!

Especial Batman - O Cavaleiro das Trevas (parte 3): Duas Caras e Coringa



Duas Caras:
Duas Caras foi criado por Bob Kane e Bill Finger e teve sua primeira aparição na revista Detective Comics #66, em agosto de 1942. Kane disse que se inspirou no filme "Dr. Jekyll and Mr. Hyde", concebendo a idéia de um vilão com dupla personalidade.

Nas versões das Hqs, o personagem surge quando o promotor público Harvey Dent, aliado de Batman contra o crime, que tem metade do seu rosto desfigurado criminalmente. Duas Caras define o destino de suas vítimas através de uma moeda com duas faces iguais, sendo uma delas riscada. Cada lado da moeda corresponde a uma opção. O personagem é obcecado pelo número 2. Esse artifício está presente no filme "Scarface", de 1932.

As versões:

No seriado da década de 60, o personagem não foi abordado por ser considerado forte demais.

No filme Batman, de 1989, Harvey Dent aparece, já como promotor de Gotham City, interpretado por Billy Dee Williams. Dizem que o ator só aceitou o papel pela possibilidade de interpretar o vilão, o que não aconteceu.


Billy Dee Williams

No desenho Batman TAS, a origem do personagem foi contada em um episódio dividido em duas partes. No desenho, Harvey Dent concorre a promotoria pública de Gotham e está noivo, porém, tem problemas psicológicos: uma segunda personalidade que vem à tona quando se irrita. Ele se trata com uma psicóloga e é descoberto por uma quadrilha, que ameaça utilizar esse dado contra Dent na eleição. A deformação da face nessa versão não é com ácido, e sim durante a explosão de uma fábrica.


Duas Caras em Batman: TAS

Dizem que os idealizadores do desenho pretendiam dar ao Duas Caras uma origem semelhante a do Coringa, como na Piada Mortal. O lado deformado no desenho é azulado, com verrugas e o cabelo descolorido. O vilão é um gagnster, sem nenhuma relação com o seu passado em defesa da justiça.


Em 1995, Duas Caras ganhou a sua primeira versão cinematográfica. Tommy Lee Jones encarnou o personagem no filme "Batman Eternamente". Esse foi o único vilão do Batman a ter a sua origem contada exatamente como nos quadrinhos nos filmes de Tim Burton/Joel Schumacher. Numa cena rápida, um noticiário informa que Duas Caras era o promotor público Harvey Dent, desfigurado por Salvatore Maroni com ácido, durante o julgamento do mafioso.

Tommy Lee Jones
Lee Jones tornou o personagem uma versão do Coringa de Jack Nicholson, no filme de 1989. Assim como em Batman TAS, Duas Caras é um gangster.

Nas hqs mais recentes, a minissérie "O Longo Dia das Bruxas", de Jeph Loeb e Tim Sale, é a que aborda melhor a transformação de Dent em Duas Caras. Enquanto tenta descobrir quem é o misterioso assassino que age em Gotham, junto com Batman e Gordon, Dent demostra que pode tomar atitudes drásticas em nome da justiça, mesmo que elas não sejam as mais corretas. A desfiguração, causada também por Maroni, é simplesmente o estopim para as suas atitudes.


Duas Caras por Tim Sale

Algumas vezes, como na edição anual da hq Batman, de 1989, a metade desfigurada do rosto de Dent é refeita. Porém, nesses eventos, ele mesmo torna a desfigurar o rosto.

Coringa:

O Coringa foi criado por Bob Kane e Bill Finger, a partir de uma sugestão feita por Jerry Robinson, um dos consultores de Batman - O Cavaleiro das Trevas. O personagem foi baseado numa foto de Conrad Veidt, no filme "O Homem que Ri". A primeira aparição do personagem foi em Batman #1, de 1940, da qual eu já comentei um pouco aqui. Com os cabelos verdes, vestimenta roxa, pele branca e um largo sorriso, o personagem é certamente um dos vilões mais conhecidos do mundo.


Conrad Veidt

Versões:

No seriado da década de 60 e no filme Batman, de 66, o personagem foi interpretado por Cesar Romero. Alguns consideram até hoje essa a melhor versão do Coringa. Uma curiosidade: Romero tinha um enorme bigode, do qual não se desfazia de jeito nenhum. Ele ficava escondido por debaixo de toda a maquiagem utilizada pelo ator.


Cesar Romero

Hoje em dia, a versão de Romero voltou a toda com "Bátima: Feira da Fruta", versão redublada de um episódio do seriado que pode ser vista na internet.

Em 1989, em Batman, Jack Nicholson interpretou o Palhaço do Crime, numa versão que desfilava a céu aberto por Gotham City, ao som de Prince. No longa, o Coringa surge quando Jack Napier cai em um tonel de produtos químicos enquanto foge de Batman. Além disso, nessa versão, o personagem é responsável pela morte dos pais de Bruce Wayne.


Jack Nicholson

O desempenho de Nicholson agradou muito os críticos na época. Diz a lenda que, por esse filme, o ator recebeu cerca de 60 milhões de dólares por conta de um contrato que previa além do cachê, uma porcentagem do valor total da bilheteria.

No início da década de 90, Coringa ganhou uma nova versão em Batman: The Animated Series. Ligeiramente inspirado no Coringa de Jack Nicholson, a versão animada do personagem foi dublada por Mark Hammil (o Luke Skywalker da franquia "Star Wars"). No filme da série animada, "Batman - A Máscara do Fantasma", Coringa era membro de uma gang antes de se tornar o Palhaço do Crime, porém, a causa dessa mudança não é contada na história.


Coringa de Batman:TAS

Hammil voltou a dublar o persongem em "Liga da Justiça" e no filme "Batman do Futuro - O Retorno do Coringa"

No fanfilm "Batman: Dead End", o personagem ganhou uma abordagem mais sinistra, que agradou a muitos fãs das hqs.


Nos anos 2000, o desenho "The Batman" trouxe uma nova versão do personagem.


Nas hqs, o persongem já ganhou versões, digamos assim, nada risíveis. Em Asilo Arkham, de Grant Morrison, Batman vai ao Arkham durante uma rebelião dos internos, liderada pelo Coringa. O visual do personagem parece ter saído de uma alucinação digna de um paciente do Asilo:


Em A Piada Mortal, de Alan Moore, o personagem tem o que é considerado por muitos a sua história de origem. Poucas vezes um vilão ganhou uma abordagem tão diferenciada quanto essa. Veja mais detalhes aqui.


A versão de Heath Ledger para o personagem promete ser a mais anárquica, séria, sádica e psicótica.
Related Posts with Thumbnails